Confrontando O Abuso De Substâncias Em Sua Família

Por:

O que você faz quando suspeita - ou você sabe - que um membro da família tem um problema de abuso de substâncias?

 

A diretora editorial da BanyanGlobal, Karen Dillon, sentou com Arden O’Connor, CEO e fundadora do Grupo Profissional O’Connor para falar sobre questões de saúde comportamental em empresas familiares, com foco em no abuso de substâncias. O’Connor compartilha seu expertise – e experiência pessoal – em lidar com questões de abuso de substâncias, com diretrizes sobre uma variedade de situações que são comuns, mas muitas vezes não discutidas, em famílias de empresas familiares.

Confrontando O Abuso De Substâncias Em Sua Família (somente áudio)

por Arden O'Connor

Principais Conclusões:

  • Há alguns dados que sugerem que famílias com alto património líquido e com empresas familiares podem, na verdade, ter taxas mais elevadas de abuso de substâncias.
  • O que é “normal”? Cinco a sete bebidas por semana, tanto para homens como para mulheres, é o limite recomendado. Uma média de um por dia.
  • Não é raro as famílias assumirem que não há problema se o negócio for bem sucedido e o indivíduo não tiver consequências importantes na vida devido ao abuso do álcool ou de substâncias. Como resultado, as famílias podem muitas vezes fazer vista grossa aos problemas de bebida. No entanto, proteger um membro da família das consequências do seu uso de substâncias pode piorar as coisas.
  • Se você tem preocupações quanto à um ente querido, a melhor opção é dizer algo assim que possível, seja pessoalmente ou através de outro ente querido de confiança. Mas só quando eles estiverem sóbrios. Se a pessoa se sentir julgada, pode não ser capaz de ouvir o que você está dizendo. Espera pelo momento certo. Mas não espere muito tempo.
  • Não há uma forma única de abordar essas questões, mas uma primeira abordagem eficiente pode ser dizer algo como: “Estou vindo falar com você por cuidado e preocupação. Reparei que você está perdendo trabalho. Você acabou sendo um pouco indelicado no jantar ontem. As interacções com a nossa filha não estão sendo boas.” Ou qualquer que seja a situação. O segredo é ser específico, não falar em generalizações. Então pergunte se eles estariam abertos a buscar alguma ajuda.
  • O que não é saudável é ignorar um problema, ou pior, encobri-lo. Ter a coragem de falar com um ente querido é um primeiro passo importante. Mas isso precisa ser feito com compaixão e com a compreensão de que eles podem não responder bem no início.
  • Quando você deve se preocupar que um familiar está passando por um problema sério? Você pode começar a ver mudanças de humor, mudanças na aparência, mudanças nas atividades ou se o seu ente querido está tendo problemas para dormir ou comer. Todos estes são sinais de que o seu ente querido pode precisar de ajuda profissional. Isso não significa necessariamente uma intervenção em larga escala, mas pode significar algum tipo de avaliação ou terapia como ponto de partida.
  • O abuso de substâncias pode afetar todos os membros da família, não apenas aquele que tem o problema. A pessoa com o problema pode sugar toda a energia do Conselho da Família, causando desgaste emocional em todos. É preciso reconhecer que diferentes membros da família podem precisar desempenhar papéis diferentes – ou nenhum papel – em ajudar um familiar com um problema. Na melhor das hipóteses, todos os membros da família devem ter acesso a algum tipo de terapeuta ou coach externos para ajudá-los a trabalhar seus sentimentos individuais sobre o que está acontecendo dentro da família.
  • Todos precisam de ajuda. Mas quanto mais tempo um problema é encoberto, mais difícil pode ser de resolver.

Fragmentos:

[1:41] O abuso de substâncias é mais proeminente nas empresas familiares do que na população em geral?

[4:53] Uso de substâncias versus abuso de substâncias: O que é normal?

[6:39] Como diferentes culturas e diferentes gerações podem ver a questão do abuso de substâncias.

[9:57] Potenciais sinais e sintomas de alerta no uso ou abuso de substâncias.

[13:45] Como você deve abordar um membro da família que possa estar passando por problemas?

[16:08] As gerações mais jovens não são as únicas que lidam com o abuso de substâncias. O abuso de substâncias também pode ser visto na geração sênior. Como lidar com isso?

[24:26] Lidar com o estigma que envolve falar publicamente sobre saúde mental.

[26:08] Lições da vida real: Arden compartilha a sua própria experiência com o abuso de substâncias em sua família.

[30:43] Regras básicas para lidar com um membro da família que tem um problema.

[36:14] O caminho nem sempre é linear, mas a mudança é atingível.

[38:16] Como o abuso de substâncias de um familiar afeta os outros membros da família?

Compartilhe:

Outros Conteúdos que Você Pode Gostar: