Um Guia para Condução de Conflitos

Por:

Conflito numa empresa familiar é um problema "nosso". Afeta a todos no sistema, incluindo o negócio. Eis como garantir que a sua família fomente um conflito saudável.

Um Guia para Conduzir os Conflitos na Sua Empresa Familiar (36:26)

por Josh Baron

O sócio e co-fundador da BanyanGlobal, Josh Baron, se junta à diretora editorial Karen Dillon para uma conversa sobre conflitos em empresas familiares. Baron não só é co-autor do The Harvard Business Review Family Business Handbook,como também criou e deu aulas em um curso sobre gestão de conflitos em empresas familiares na Columbia Business School.

Principais Conclusões:

  • A cultura do conflito é diferente em cada família, mas muitas famílias têm tanto medo do conflito que se conformam com a “falsa harmonia”.
  • Conflito é um “problema da Cachinhos Dourados”. Muito e pouco são ambos insustentáveis. É preciso encontrar um meio termo de conflito saudável e construtivo para conseguir um caminho sustentável para o futuro.
  • Uma das melhores formas de evitar conflitos insalubres é planejar com antecedência, elaborando políticas para certas pontos quentes antes de se tornarem sobre uma determinada pessoa ou questão.
  • Se já está no caminho do conflito insalubre ou potencialmente insalubre, dê um passo para trás e tente reenquadrar o seu desentendimento. O primeiro passo é concordar que chegar a um acordo é melhor do que o que pode acontecer se não o fizer. Se concordar que esse é o seu objetivo, estará num bom lugar para trabalhar nas questões agora e preparar-se para as gerações futuras.
  • As famílias nunca iniciam um negócio juntas esperando chegar ao ponto de se processarem umas às outras, mas isto pode acontecer. Estar consciente dos passos na espiral do conflito e saber quando a sua família poderá estar neste caminho é o primeiro passo para voltar a trabalhar em conjunto com sucesso.
  • Antes de saltar para uma conversa difícil, estabeleça algumas regras e tenha uma discussão sobre o que precisa para terem uma reunião construtiva.
  • Conduzir um conflito no seu negócio familiar pode ser mais desafiante porque as pessoas se sentem mais confortáveis em ultrapassar os limites do que se estivessem em uma situação de negócio, com partes não relacionadas. Mas, estas relações entre os membros da família são mais resilientes e clementes e podem se recuperar muito mais fácil e rápido com uma pequena quantidade de responsabilidade e comprometimendo dos envolvidos.
  • Conflito numa empresa familiar é um problema “nosso”. Afeta todos no sistema, incluindo os negócios, e é preciso dedicação e cooperação de todos para voltar a um lugar bom e funcional.

Fragmentos:

[0:38] A realidade do conflito na maioria dasempresas familiares é na realidade o oposto do que se vê na televisão ou nos meios de comunicação social. Os efeitos dos conflitos nas empresas familiares são amplificados devido ànatureza multifacetadadas relações no sistema.
[2:59] Cada família tem a sua própria cultura de conflito – um nível de conflito que é aceitável ou não. Ainda assim, haverá sempre tópicos que são evitados por serem improdutivos, mas há muitas situações em que as famílias podem se beneficiar de opiniões diferentes.
[5:34] O conflito é um problema da “Cachinhos Dourados”. Em algum lugar entre os extremos, você encontrará um meio termo de conflito saudável e sustentável.
[7:38] Há coisas que você pode fazer para evitar potenciais argumentos futuros, tais como criar políticas antes que se tornem sobre qualquer pessoa ou qualquer questão.
[10:25] Embora o melhor momento para abordar questões que você suspeita que podem causar tensão seja muito antes de se tornarem um problema, ainda é possível corrigir uma vez iniciado o caminho do desacordo litigioso.
[13:04] Há uma variedade de tópicos que são temas recorrentes comuns a muitas famílias que, com a preparação, vocês podem identificar e resolvê-los antes de chegarem num conflito.
[14:49] A espiral do conflito: um caminho previsível, mas evitável, que as famílias muitas vezes começam inconscientemente a descer quando há pontos de desacordo. Segue sete passos que terminam em processos judiciais e quase sempre, a dissolução de uma família e de uma empresa familiar. É importante estar ciente destes passos e é inteiramente possível sair dela se tomarem a iniciativa de trabalhar em conjunto.
[24:19] Sair da espiral de conflitos é, por vezes, uma questão em que todas as partes precisam chegar a um acordo para que os esforços tenham uma oportunidade de sucesso. Mesmo que sozinho você não tenha o poder de mudar a forma como as coisas estão ocorrendo, há coisas que podem ser feitas para ajudar a situação.
[27:15] Estabelecer regras e falar sobre o que cada pessoa precisa ou o que pode desencadear gatilhos nas conversas que abordam as questões de divisão. Ao estabelecer regras básicas e ao ouvir o que fará os outros sentirem-se na defensiva, você está se colando e colocando sua família numa posição de conversa produtiva e de resolução.
[29:17] As relações familiares são mais resilientes do que as relações profissionais normais. Você pode acabar fazendo mais coisas – as coisas que diz, a forma como as diz – mas também há mais elasticidade e capacidade de perdão.
[32:14] Tente reenquadrar a forma como fala com aqueles com quem está em conflito. Evite declarações de “você sempre” ou “você nunca”. Compartilhe o que você sente sem acusações ou raiva.
[33:48] Uma recapitulação das dicas práticas que Josh Baron compartilhou durante toda a conversa.

Compartilhe:

Outros Conteúdos que Você Pode Gostar: